segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Uma beleza diferente II - Comentário da Cibely


O texto abaixo é o comentário da Cibely Francely, no artigo Uma beleza diferente
(anterior), resolvi compartilhá-la com vocês...

Eu sentia um vazio tão grande, por conta disso eu era insegura, ciumenta, chorona e era viciada em anfetaminas. Cheguei a me expôr, exibir meu corpo por ter necessidade de ser admirada, notada, fui miss, musa, candidata a rainha de expofeira, saia sempre como destaque no carnaval com roupas pequenas. Eu acreditava que essas coisas me preencheriam e nada disso adiantou. Fiz avaliação para cirurgias plásticas, mas quando vi que o cirurgião mudaria todo meu rosto, desisti.
Quando participei de um concurso em nível nacional, fui super criticada pois eu era a mais forte, me chamavam de miss gorda, miss celulite, os missólogos (especialistas em miss) diziam que eu não tinha mínimas condições de ser representante da beleza brasileira e eu estava abaixo do meu peso normal. Cobram um padrão de miss que não existe naturalmente, nunca vi uma que não tenha feito alguma cirurgia. Eu chorava muito, me achava feia, sentia vergonha de tirar fotos, me sentia uma coitadinha.
Mas logo após o concurso saí da igreja que eu estava e comecei a frequentar a IURD. Hoje em dia sou convicta de que não preciso mostrar mais do que o necessário para ser feliz . Discrição, autovalorização e autoconfiança são características que mostram a personalidade da pessoa e isso sim faz a diferença.
É claro que preciso me cuidar, mas não vejo necessidade alguma de fazer cirurgia plástica ou lipoaspiração e nem participar de concurso de beleza pra ser convencida de que sou bonita. Basta eu ser o que sou e reconhecer que isso é o suficiente. Eu não preciso olhar pra trás, tudo se fez novo em minha vida, não me lamento por coisas que tive e não tenho mais, a cada dia tenho certeza de que tudo que eu quero posso conquistar e isso é fato, descobri talentos que eu nem imaginava ter.
Hoje desfilo super feliz com roupa de tia da escolhinha e já estou aguardando outra roupa linda que é a de obreira da Igreja Universal do Reino de Deus, com essas sim "desfilo" feliz. Só cheguei a essa conclusão depois de entregar inteiramente a minha vida ao Senhor Jesus Cristo. Claro que se eu não tivesse vivido tudo isso hoje eu não teria uma verdadeira história para contar.
Afirmo sem medo, que mudei, estou mudando e cada dia que se passa aprendo algo para pôr em prática e luto ser uma pessoa diferente. E a cada dia quero compartilhar a alegria que sinto com todos por esse mundo.

obrigada Cibely,
Postar um comentário