quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Novo Assunto - família II

Bem, para começar e em continuação ao post anterior, não podia deixar de escrever isso aqui também.
Primeiramente não pude mais agir na carne e sim no espírito. Tinha que lutar com as armas que iriam me ajudar e isso só seria na fé mesmo. Quando falavam mal da Igreja eu pedia licença e saia para o meu quarto, lá eu me ajoelhava e orava a Deus.


Eu e minha mãe

E, como até então ainda guardava ressentimentos deles, nós éramos assim: Dar um abraço? Só em aniversários. Um beijo nos meus pais ou vice-versa? vishi, difícil. Dizer uma palavra carinhosa? Mais difícil ainda. O que comecei a fazer? Aquilo que meu coração não queria.
Fui e dei um abraço neles e pedi desculpas... nossa parece que caiu o muro que nos separava.
Esse foi meu segundo passo.

Depois passado alguns dias e eu já mais carinhosa com eles, tive uma conversa franca e disse o que queria para a minha vida. Que eu queria continuar indo à Igreja, estava me fazendo bem, nunca escondi nada... nem o meu desejo de ser obreira.
Em casa, eu ajudava mais a minha mãe, fazia até aquilo que não era pedido por ela, para não terem do que falar de mim depois, queria ser um bom testemunho. 
E, sempre lutando por eles ...

Amanhã postarei por completo.
Com tudo que aprendi.

na certeza,
Postar um comentário