domingo, 29 de maio de 2011

O Sisterhood e o céu

"Boa Noite amigas, recebi este e-mail agora há pouco e gostaria de compartilhá-lo com você,
Relato de uma jovem que não passou no mês do Rush. 
Para mim é esta visão que tem de ter... E Não desista!! Tente outra vez! na certeza,"  

Esta comparação eu fiz quando estava na segunda semana do mês do rush.
Me dedicando e cumprindo a cada semana as minhas tarefas.

Deus me fez pensar, no quanto de esforço eu estava fazendo para entrar no grupo e o quanto eu devo fazer ainda mais para entrar no Reino dos Céus.


Assim como na jornada da fé para alcançar o nosso Maior objetivo, a salvação, na minha jornada para o sisterhood vieram várias vezes pesamentos para desistir das tarefas, que eu não precisava disso para ser mais de Deus, fora as pessoas que falavam coisas ao contrario, pensando que o Sisterhood é só andar bonitinha e de saia e vestido...

As semanas foram passando e mesmo com os pensamentos contrários, permaneci firme no cumprimento das minhas tarefas até a última semana do Rush. Sempre orando a Deus e pedindo que a vontade dEle se cumprisse na minha vida, pois até então eu pensava que o Sisterhood era o melhor de Deus para mim naquele momento.

Passei por um grande amadurecimento espiritual nesses 3 meses de Tarefas, além da maravilhosa Camapanha do Espírito Santo, Ah que Dia!

Dentro de mim havia uma certeza de eu ia passar e entrar no sisterhood, permanecendo assim nas constantes mudanças de comportamento e atitudes com um só objetivo: Agradar a Deus em Tudo o que eu fizesse e principalmente sou.

Passei pela entrevista com a Dna Marcia e mais uma vez aquela certeza permanecia dentro de mim.

Uma semana se passou e não obtive resposta sobre o resultado da seleção, na minha igreja éramos em 8 candidatas a pledge, 3 já tinham recebido a resposta de que passaram e 4 que não passaram e somente eu não havia recebido nada! Até então já sabia que não tinha sido daquela vez.

Conversando com uma amiga que não passou ela disse: "Deus não nos dá o que a gente quer e sim o que a gente precisa". Já conformada e crendo que aquela era a vontade de Deus para a minha vida, e por outro lado uma amiga que passou dizia, fica na fé e já prepara o seu vestido porque vc já passou, estou orando por você etc...

Duas semanas depois resolvi mandar um e-mail para a Dna Marcia para comunicar sobre o meu caso de que eu ainda não havia recebido nenhuma resposta, ela me respondeu que eu não havia passado e que todas as coisas cooperam para o nosso bem.

Na hora veio o seguinte pensamento: tanto sacrifício e tanto esforço para nada! tantas lutas, tantas guerras e dificuldades para cumprir cada tarefa foi em vão. Nadei, nadei e morri na praia...

Mas logo em seguida veio a voz de Deus me dizendo: Eu não sou injusto para ficar esquecido das suas obras, sei que todas as suas tarefas voce as apresentava como oferta para mim. Não se preocupe, eu estou no controle de TUDO!

Agradeci muito a Deus, porque mesmo não entrando no Sisterhood, hoje sou uma pessoa totalmente diferente do que eu era a 3 meses atrás no dia da inscrição.

Não pude ir na Pledge Night, mas quando eu vi as fotos da formatura, uma paz muito grande estava dentro de mim. Agradeci a Deus por ter cumprido a Vontade dEle na minha vida.


Ainda hoje eu não sei exatamente porque não passei, mas certamente lá na frente eu vou entender, não sei se foi por ter deixado algo a desejar, se havia outra menina precisando mais do que eu ou se simplesmente era para que a minha experiência me levasse a escrever este texto...

Só sei que uma das principais lições que aprendi foi que para entrar nos céus é preciso MUITO MAIS do que a gente pode imaginar. E o pior de tudo: eu tinha CERTEZA de que eu iria entrar no grupo e não entrei, Não por pensar que era alguma coisa, mas simplesmente por crer em um Deus que nos garante a vitória. E com relação a minha salvação isso NÃO pode acontecer!

Que Deus Abençoe a cada dia mais este grupo tão maravilhoso e transformador.
Abençoe também a cada menina e a cada esposa, Grandes Mulheres de Deus que Ele usa para nos ajudar.

Na Fé,

Mariana Novaes
Postar um comentário