quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Você na Real...

Mudar é possível? Sim.
Mas como? Isso parece ser tão difícil!
Oras minha amiga, vamos em frente, toda mudança exige sacrifícios. Não é da noite para o dia, não. Eu mesma continuo mudando, todos os dias aprendo algo novo e levo para minha vida. Uma mudança para ser verdadeira tem que vir naturalmente, tá bom, algumas vezes a gente tem que dar um empurrãozinho em nós mesmas, porém o principal é quando deixamos o próprio Espírito Santo fazer uma mudança em nós. 

Ás vezes você até muda por fora, aparentemente. 
Mas por dentro, só você se conhece e Deus. Muitas no princípio aprendem como ser, aprendem como se vestir, aprendem como falar, aprendem. Mas não tomaram aquilo para si. Não deixaram no fundo o Espírito Santo moldar. Deixaram de fazer algumas coisas porém no fundo, no fundo, ainda é a mesma criatura de antes, apenas deu uma pincelada por cima.
Essa raiz da sua velha criatura você não arrancou. E você mesma precisa identificá-la e arrancá-la. 
Essa raiz pode ser um modo de pensar, um jeito, comportamento. Pode se manifestar de várias maneiras, a gente percebe nas atitudes, quando fala, enfim em tudo... Você aprende ser de um jeito até certo ponto, só que uma hora cansa de ser quem não é e aí que 'Você na real' aparece. 

Antes eu ficava me perguntando, como eu poderia ter achado que uma pessoa era algo e um tempo depois ela se mostra totalmente diferente a aquilo que me pareceu. Foi quando minha ficha caiu para isso. 
Lembrei que algum tempo atrás eu aprendi isso em um Evento chamado Raízes que tivemos na Igreja.

Ache a sua raiz e a arranque. Isso exige sacrifício de si mesma e esforço.

Mas como eu posso cortar essa raiz?

Você tem que ferir onde dói e continuar ferindo até ela sanar de vez! 
Exemplo: 
Humildade para cortar a raiz má do orgulho;
Domínio próprio para cortar a raiz má da raiva, dos vícios,
Sinceridade para contar a raiz má da hipocrisia,
Coragem para cortar a raiz má do medo;
Verdade para cortar a raiz má da mentira;
Amar seu próximo para cortar a raiz má do egoísmo e por aí vai...





Postar um comentário