terça-feira, 9 de junho de 2015

Você tem algum problema mau resolvido dentro de si?

Hoje enquanto eu estava andando na rua, fiquei visualizando as plantinhas que com o passar do tempo crescem no meio das calçadas na rua. E fiquei pensando, logo que são construídas, não dá para vê-las, mas de uma forma ou outra ficam lá e com o passar dos anos as calçadas começam a se deteriorar e esses matinhos voltam a crescer.

Assim são as pessoas que ainda não se resolveram interiormente, talvez por alguma mágoa encubada, você acha que perdoou, mas na verdade não, ou até mesmo por uma situação do passado que lhe feriu, vejo isso em mulheres que sofreram algum tipo de violência física, moral e sexual.

Esses dias conversei com uma pessoa que hoje é uma nova mulher!

Ela era ex garota de programa, rancorosa e colocava toda a culpa do que era, pelo abuso que sofreu quando criança. Ela cresceu e aos 30 anos conheceu a igreja, se entregou e começou a ajudar em tudo. Porém ela era conhecida como uma pessoa brava, as coisas deveriam ser do jeito sempre. As pessoas tinham receio de conversar com ela pela maneira grosseira de sempre falar. Seu relacionamento com sua mãe ainda não era bom. E assim ela foi levando.

Até mesmo quando estava com seu esposo, muitas vezes não gostava de carinho, e saía de perto, por lembrar daquilo que aconteceu.

Até que um dia alguém ou seja, um homem falou isso para ela: Que isso não era normal e ela deveria se resolver!  Foi aí que ela lembrou disso e finalmente contou para sua mãe e pediu perdão, pois a mãe não sabia e nem seu esposo.

A partir desta atitude ela libertou o que estava escondido no seu interior, este segredo que há 30 anos carregou e por isso era tão brava e grosseira. E quantas pessoas não são assim também, carregam durante anos um problema mau resolvido, algo encubado que a destrói por dentro? 

Por mais que tenha acontecido um absurdo com você, seja sempre sincera e transparente. Arranque essas plantinhas, essas raízes que com o tempo, vão tentar aparecer novamente.

Até a próxima, 
Postar um comentário